05/08/2019

Carvalho e fruta reunidos em um Merlot gaúcho!

Categoria:  Degustação, Entre R$ 200 e R$ 300, Nacional, Vinho Tinto

Por: Tamine de Moraes
DNA 99 Pizzato Single Vineyard Merlot 2011

DNA 99 Single Vineyard Merlot 2011 – Pizzato, Vale dos Vinhedos/Brasil

Eu gosto bastante de vinhos nacionais. Já bebi coisa ruim? Já. Mas posso dizer que já bebi vinhos portugueses, franceses, italianos e espanhóis igualmente terríveis. Caríssimos e terríveis.

Temos muito pouco tempo de tradição vitivinícola no Brasil. Ainda tem muita estrada pela frente, muito o que ser (des)aprendido até que se possa afirmar qual é a cara dos vinhos brasileiros. Digo isso porque, volta e meia, bebo alguns rótulos nacionais com uma pegada de vinho francês, californiano e até argentino, o que é uma pena.

Bom, já deu para perceber nos posts mais antigos que, independentemente da origem do vinho, eu encrenco com a graduação alcoólica muito elevada. Raríssimas opções são realmente equilibradas. Mas encrencar, com vontade, eu encrenco com vinhos ultra barricados. Barrica de carvalho usada para arrendondar um vinho e para dar um toque de complexidade na bebida é um baita artifício enológico. Mas, como tudo na vida, ela deve ser usada sem exageros. Quero sentir o gosto complexo e fresco da bebida, não faço questão alguma de beber madeira. Eu sei que esse pensamento não é dominante, tanto que há diversos amigos especialistas que curtem muito um sabor de carvalho mais acentuado.

Gosto é gosto.

Bom, feita essa introdução, vamos ao vinho de hoje!

Quando compramos esse tinto às cegas, coisa de uns 2 anos atrás, tínhamos uma noção de como ele seria, graças à explicação que recebemos sobre a sua vinificação. Compramos uma garrafa por curiosidade, já que ele é um dos ícones da Pizzato, uma vinícola gaúcha que vale a visita. Aproveitando o embalo, levamos também o espumante Vertigo Nature que já foi devidamente bebido (o post sobre ele está aqui).

Depois de 2 anos, finalmente abrimos o DNA 99. As impressões foram as seguintes: trata-se de um tinto bem aromático – destaque para frutas vermelhas escuras, notas de tabaco, especiarias, carvalho e uma nota sutil de couro. Ele é seco, de médio corpo, com taninos finos, final longo e com uma boa acidez.

Vale a pena conferir mais detalhes sobre a sua produção na ficha técnica do produtor. Destaco: 1) a passagem por barris de carvalho francês de média tostagem, de primeiro uso e desenvolvidos especificamente para o amadurecimento de Merlots; e 2) a produção exclusiva e limitada do vinho (5.400 garrafas numeradas), feito apenas em grandes colheitas.

Fruta e carvalho em um Merlot
Degustação DNA 99 Pizzato

No geral, a proposta do vinho se confirma nos seus aromas e sabor: ele é intenso e marca o paladar com notas frutadas e com o carvalho. A boa acidez o torna versátil e gastronômico, mas tenho a sensação de que o carvalho passa a sensação de menos frescor. E isso mesmo depois de 8 anos de envelhecimento em garrafa.

Resolvemos comprar uma lasanha de carne de panela do Mesa 3, bem suculenta e temperada. Houve alguns sorrisos em relação à combinação, mas o retrogosto amadeirado superou o que acho que esse vinho tem de melhor, que é fruta e a boa acidez.

Lasanha vinho tinto
Harmonização lasanha de carne de panela vinho

O preço está na faixa dos R$250. Embora ele seja um dos ícones da vinícola e tenha uma produção diferenciada, o valor não é convidativo para um consumidor médio. Ao comparar o preço desse vinho com um rótulo importado, ele não vai pensar duas vezes antes de optar pelo item de fora, infelizmente.

Se você estiver atrás de outros vinhos brasileiros, clique aqui.

E se já provou o DNA 99 da Pizzato Single Vineyards Merlot 2011, avalie aqui embaixo!

Compraríamos novamente?
Faixa de preço:
Entre R$200 e R$300

Conhece este vinho? Avalie!
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
(Esse vinho ainda não foi avaliado)
Loading...

Sobre o Blog

Seja bem-vindo ao nosso blog de vinhos! Um apanhado de boas histórias para quem curte essa belíssima fonte de prazer e de cultura que é o vinho!

Categorias