Vitrine dos Vinhos
29/03/2017

O belo Vale dos Vinhedos

Categoria:  Artigo

Enoturismo Vale dos Vinhedos

A maioria das pessoas sonha em viajar e conhecer as belas regiões vinícolas… e não tem como negar: passar o dia bebericando bons vinhos entre paisagens românticas e belíssimas é um sonho de consumo geral!

E como realizar esse desejo? Você encontra lugares assim na França, na Itália, na Espanha e em Portugal. Fato. Só que viagens internacionais são muito caras e os custos em dólar e em euro, da passagem à estadia e das visitas às compras de vinhos extrapolam as condições financeiras de muitos.

Só que não é preciso gastar muito e nem ir muito longe para realizar um sonho como esse: conhecer vinícolas, beber excelentes vinhos e perambular entre videiras e paisagens encantadoras está muito mais perto do que grande parte dos brasileiros pensa!

Você conhece o Vale dos Vinhedos?

O Vale dos Vinhedos é uma das zonas vitivinícolas mais importantes da Serra Gaúcha. Ao chegar lá você percebe, sem muito esforço, a forte herança cultural, histórica e gastronômica italiana. Isso porque a região recebeu imigrantes italianos lá por volta de 1870, os quais trouxeram muita coisa boa na bagagem, entre elas, técnicas de plantio de uvas e de elaboração de vinhos.

Não por acaso, você encontra dezenas de vinícolas na região e os vinhos produzidos por elas estão muito além do que se pode esperar! A região está em constante avanço e, safra a safra, são produzidos litros e litros de vinhos brancos, tintos, rosés e espumantes cuja qualidade, acredite, é surpreendente! E caso você não tenha ouvido falar, o Vale dos Vinhedos, em 2002, tornou-se a primeira região do Brasil com Indicação Geográfica de Procedência (I.G.P.) e, em 2012, foi reconhecida a Denominação de Origem (D.O.), um marco na produção de vinhos do Brasil.

O que significam essas siglas?
Denominação de origem Vale dos Vinhedos

Bom, o I.G.P. é uma denominação relacionada a uma região que tenha se tornado o centro de produção de algum produto – neste caso, vinhos. Ou seja, o vinho somente levará esse “selo de garantia” caso seja feito nessa região específica e a partir de determinados critérios de produção. Quanto ao D.O., a coisa muda um pouco: para levar essa denominação, há mais regras de qualidade envolvidas, que englobam a forma de vinificação, a quantidade máxima de litros de vinhos que devem ser produzidos, o tipos de uva que deve ser empregado, entre outras regras. Além de todas essas especificidades que devem ser observadas antes e durante a vinificação, há uma posterior avaliação laboratorial do vinho para atestar a sua conformidade. Uma vez atendidas todas as condições, o produto pode circular com a classificação D.O.. Tem produto que é só I.G.P. e outros, de controle mais restrito, são D.O..

E o que isso significa, na prática?

Isso significa um avanço no desenvolvimento da região como um todo, além de um posicionamento diferenciado no mercado nacional e internacional de vinhos. Essas siglas são como uma garantia de qualidade e isso traz investimentos na área, o que impacta na melhoria dos vinhos, sem que, nesse processo, perca-se a tipicidade (ou características principais) dos vinhos feitos na região. É uma forma de proteger e garantir a qualidade dos exemplares locais.

Parece ser desnecessário saber tudo isso? Mas não é.

A questão é que muitos brasileiros não sabem que há bons vinhos no Brasil. Apesar de muitos lembrarem daqueles antigos vinhos em galões, quando se fala de produto nacional, os tempos não são mais os mesmos. O país conquistou uma posição muito diferente e precisa constantemente lutar contra o preconceito de muitos apreciadores de vinhos brasileiros que já beberam produtos franceses, argentinos, italianos, africanos, menos vinhos nacionais. E não é por falta de acesso: na maior parte das vezes, é falta de conhecimento ou puro preconceito, principalmente quando alguém diz que não gosta do vinho brasileiro sem, ao menos, ter provado um único exemplar ou, em alguns casos, provou um exemplar e acha que o restante se resume a ele.

Por essa razão, a dica é: viaje para uma importante e reconhecida região vinícola brasileira como o Vale dos Vinhedos. Além da hospitalidade, a infraestrutura local é um diferencial que surpreende muito: há diversos restaurantes com comida tipicamente italiana e grande parte opera em sistema de rodízio (pense, nesse momento, na palavra fartura). Há hotéis dentro do próprio Vale, uma boa sinalização que facilita encontrar as vinícolas e os demais empreendimentos locais e preços acessíveis para comer e beber bem!

Bento Gonçalves Verão Vale dos Vinhedos

No Vale é possível vivenciar 2 momentos distintos no ano: no verão, quando as videiras estão carregadas de uvas, criando um cenário encantador para todas as faixas etárias. Há diversos passeios e eventos relacionados à vindima, de modo que as pessoas podem participar de trilhas, fazer piqueniques e, a depender do evento, ter a chance de colher uvas e até realizar a pisa, como se fazia antigamente.

Bento Gonçalves Inverno Vale dos Vinhedos

No inverno, as temperaturas baixam bastante e uma gastronomia farta, regada aos bons vinhos brasileiros é um programa obrigatório (de tão bom que é)! A qualquer época, as vinícolas oportunizam uma visitação para conhecer a sua estrutura e como são feitos os seus vinhos. Para quem não vive essa realidade, acredite: é um evento inspirador. Tanto que, ao final, dá vontade de continuar aprendendo sobre vinhos e bebendo cada vez mais.

Seja no inverno, seja no verão, os vinhos são sempre uma atração à parte. Você pode apreciar vinhos em todas as vinícolas, degustá-los e, ao final, adquirir o produto desejado. E esta é a maior vantagem: provar um vinho antes de comprar é, sem dúvida alguma, a forma ideal de adquiri-lo. Ainda mais quando a faixa de preço contempla todos os bolsos e intenções.

NNossa experiência no Vale dos Vinhedos facilita em muito a divulgação (que nesse caso é gratuita, diga-se de passagem!). Já estivemos lá tanto no inverno quanto no verão. Na primeira vez, por não saber que tipo de vinho encontraríamos, nem separamos um espaço na mala para as compras. Já na segunda vez, levamos 2 mochilas cheias de vinhos, fora as encomendas por transportadora. É impossível não se empolgar diante da imensa variedade de uvas e de técnicas… certamente você vai encontrar um vinho que vai te encantar! Ou muitos!

Por tudo o que dissemos, fica o convite: inclua a Serra Gaúcha na sua lista de sonhos de consumo e viaje para o Vale dos Vinhedos com a família, com o parceiro(a) e até com os filhos! Conheça o Brasil e conheça os vinhos brasileiros!

Posts Relacionados


Quais vinhos combinam com você?

Faça já o teste e descubra quais vinhos podem combinar mais com os seus gostos!

Sobre o Blog

Seja bem-vindo ao nosso blog de vinhos! Um apanhado de boas histórias para quem curte essa belíssima fonte de prazer e de cultura que é o vinho!
Visit Us On FacebookVisit Us On TwitterCheck Our FeedVisit Us On Instagram