27/07/2020

Stag’s Leap e o Julgamento de Paris

Categoria:  Degustação, Entre R$ 100 e R$ 200, Importado, Vinho Tinto

Por: Tamine de Moraes
Stag's Leap Artemis

Artemis 2014 – Stag’s Leap Wine Cellars, Napa Valley/Estados Unidos

Muitos amigos já disseram que morrem de vontade de beber o Chardonnay do Chateau Montelena e o Cabernet Sauvignon da Stag’s Leap Wine Cellars.

Bom, o Chateau Montelena já passou por aqui um tempo atrás e matou um pouco da curiosidade. Dando sequência à história, vamos ao outro nome da lista de desejos.

Pra quem está por fora e não entende a razão dessa vontade toda, vale a pena uma breve apresentação: segundo o Atlas Mundial do Vinho, a fama do distrito Stag’s Leap veio da noite para o dia, em 1976, quando um Cabernet Sauvignon da Stag’s Leap Wine Cellar, vinícola que foi fundada em 1970 por Warren Winiarski, chegou em primeiro lugar numa degustação de Paris (o famoso Julgamento de Paris). Foi um feito inédito, já que propriedades francesas de grande renome no mundo dos vinhos, tal como o Château Mouton Rothschild e o Château Haut-Brion, foram vencidas por essa vinícola jovem e do Novo Mundo. Pra surpresa geral de todos, os vinhos da Califórnia acabaram repetindo o bom desempenho numa nova rodada de degustação às cegas, 30 anos depois. De acordo com o livro citado, de todos os Cabernets de Napa, os de Stag’s Leap têm comprovadamente o caráter mais reconhecível. Alguns especialistas chegam a compará-los com os elegantes e prestigiados vinhos de St. Julien e Margaux, 2 subregiões importantíssima de Bordeaux.

O vinho premiado da Stag’s Leap Wine Cellars é o Cask 23. Por questões de raridade e de preço (o valor fica na casa dos 4 dígitos!), ainda não tive a chance de experimentá-lo. Porém, numa viagem para os Estados Unidos, encontramos o Artemis num valor ok e trouxemos uma garrafa na mala. 2 anos depois, ele finalmente ocupa um espaço à mesa.

Antes das impressões, vale muito a pena citar a descrição da safra 2017 do vinho Artemis que encontrei lá no e-commerce da própria vinícola. Não é a mesma safra, mas se parece bastante com a avaliação que fizemos da safra 2014. Numa tradução livre: o vinho oferece aromas convidativos de framboesa madura, amora e cereja escura, além de notas de cedro e especiarias. O paladar médio é agradável e redondo, com sabores de ameixa, chocolate preto, frutas secas e um toque de carvalho tostado. O final é rico e persistente.

Apesar da fama e das descrições positivas sobre o Artemis, o meu receio em relação aos vinhos americanos é sempre o mesmo: beber madeira e pegar fogo por conta do álcool nas alturas. Um cuidado extra no serviço e na temperatura acabaram assegurando uma experiência mais tranquila. E é claro que o Artemis também ajudou.

Eis as impressões: trata-se de um tinto de grande complexidade aromática – frutas vermelhas frescas (cereja e ameixa), tostado, baunilha, chocolate meio amargo, tomilho, couro e pimenta do reino. Ele é seco, encorpado, bem persistente, com taninos finos e com boa acidez. Não senti tanto os 14,5% de álcool como já senti em outros californianos. O retro-olfato é marcado pela fruta, pela baunilha e pela madeira.

Stag's Leap
Cabernet Sauvignon Stag's Leap Wine Cellars

A expectativa era a de um vinho potente e foi isso que veio. Um tinto marcante e que se equilibra por cima: boa acidez, muito álcool, boa carga tânica, muita fruta e muito corpo. É um vinho longevo, mas abri-lo nesse momento não foi tão precipitado assim: o vinho já se exibe bem e mostra que ganhou bastante com 6 anos de garrafa.

O prato escolhido para a harmonização foi uma picanha de cordeiro assada com tagliatelle na manteiga e sálvia. Não podia ter sido uma escolha melhor! Mais uma vez, o equilíbrio se fez por cima: um vinho potente e estruturado de um lado e uma carne bem suculenta e de sabor intenso do outro. Já nas primeiras mordidas e goles deu pra perceber que os sabores e as texturas se conversaram muitíssimo bem.

Artemis Stag's Leap Wine Cellars
Vinho tinto cordeiro

Falemos do preço: os vinhos californianos costumam ser bem caros. O Artemis custava 60 dólares em 2017, quando o dólar estava 3 pra 1. Hoje, ele está custando 75 dólares direto da loja virtual da vinícola e, considerando que o dólar está 5 pra 1, então o valor convertido seria de R$375. Dá mais que o dobro do que pagamos. É um vinho gostoso, mas a flutuação do dólar prejudica bastante o seu custo-benefício.

Outras opções de vinhos tintos nacionais e importados? – É só clicar aqui.

Se você já experimentou o vinho californiano Artemis 2014 da Stag’s Leap Wine Cellars, avalie aqui embaixo.

Referência bibliográfica: Atlas Mundial do Livro/Hugh Johnson e Jancis Robinson, 7° edição, São Paulo: Globo Estilo, 2014. Pg 307.

Conhece este vinho? Avalie!
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
(1 votos | Média: 5,00)
Loading...

Sobre o Blog

Seja bem-vindo ao nosso blog de vinhos! Um apanhado de boas histórias para quem curte essa belíssima fonte de prazer e de cultura que é o vinho!

Categorias